Como Funciona O Mercado De Criação De Apps

Como Funciona O Mercado De Criação De Apps

Afinal, como funciona o mercado de criação de Apps?

Hoje os então populares apps começaram a ser desenvolvidos em 2007, com o lançamento do iPhone e da App Store, feito pela empresa Apple. Desde então o segmento vem crescendo e segundo dados do Sebrae, o mercado de criação de apps é imenso e rico, bilionário para ser mais específico.

Existem aplicativos para os mais diferentes fins: aplicativos de jogos, comunicação, música, vídeo, aplicativos destinados a quem viaja; a quem trabalha; a quem estuda e até mesmo aplicativos para quem precisa chamar um Táxi.

Por onde começa um aplicativo?

Tudo começa com  uma ideia, depois vem à parte do desenvolvimento (o que também não é nada fácil). Um dos maiores problemas que os desenvolvedores encontram hoje é a falta de ideias originais, por isso, o que mais se faz é criar aplicativos já existentes, adicionando mais opções e apresentando diferenciais, para que o usuário escolha usar o seu e não o da concorrência.

Mas, o que é preciso ter em um app para agradar? Vejamos alguns pontos importantes sobre o mercado de criação de apps:

  • Utilidade: Convenhamos que ninguém ira usar um aplicativo inútil;
  • Praticidade: O aplicativo deve apresentar funcionalidades de fácil entendimento e acesso rápido;
  • Diferencial: Existem várias opções de aplicativos para todos os fins imagináveis, porém os usuários se interessaram apenas naquele que tiver o maior diferencial sobre os demais.
  • Público Alvo: Cada aplicativo é feito destinado para um seleto grupo de usuários. Decidir qual vai ser este grupo é fundamental no desenvolvimento do app, por quê?

Simples, você precisa saber qual o nível de conhecimento das pessoas que vão usar seu app para desenvolver uma interface agradável a elas, você precisa saber o que é que estas pessoas procuram em um aplicativo para estabelecer as funcionalidades interessantes a ele e por último, é baseado nas pessoas que vão usá-lo que você decide para qual plataforma (WP, iOS, Android, etc.) ele será destinado, caso não seja para mais de uma.

  • Vitrine: Quando o processo de desenvolvimento do aplicativo chega ao fim e ele é aprovado nos testes, resta apenas coloca-lo no mercado, para isso, é necessário exposição, vamos então coloca-lo em alguma loja de aplicativos, como a Google Play (Android) ou a App Store (iOS).

Para que você tenha ideia de como funciona o processo, vamos usar a Play Store da Google como exemplo: O primeiro passo é acessar a página oficial para desenvolvedores da Play Store (play.google.com/apps/publish/) e se cadastrar, o custo é de 25 dólares a serem pagos com cartão de crédito.

Através desta página que o desenvolvedor tem as informações necessárias para disponibilizar o aplicativo, bem como as estatísticas dele. Após o envio do aplicativo, o download dele através da loja logo será liberado, mas não é por isso que o trabalho se encerra, a partir daí, é necessário trabalhar em futuras atualizações para que o aplicativo tenha constantes melhorias.

Mais Downloads… Mais dinheiro?

Em caso de aplicativos pagos, você pode escolher o quanto quer ganhar pelo seu, lembrando sempre de manter os pés no chão e conhecer a realidade do mercado antes de estabelecer o preço. Em caso de aplicativos gratuitos, você também pode lucrar, talvez lucrar mais do que em aplicativos pagos, simplesmente inserindo anúncios de terceiros dentro do aplicativo.

Alguns desenvolvedores trabalham isso incorretamente, fazendo com que o aplicativo mostre um anúncio em pop up enquanto o usuário está utilizando o app, isso é irritante na maioria dos casos e pode fazer com que você perca o usuário para um aplicativo concorrente. Outros desenvolvedores,  trabalham isso muito bem, deixando os anúncios como visualização opcional e oferecendo regalias ou prêmios para quem os acessa, um exemplo de aplicativo que trabalha isso bem é o 8 Ball Pool, onde você pode acessar anúncios em troca de moedas do jogo, o que vem a ser muito interessante para o jogador.

Esperamos ter agradado com este artigo e lembramos que nem sempre é necessário seguir o nosso exemplo colocando seu app para download em lojas, você também pode vendê-lo para alguma empresa.

E então vai criar um apps? Ou quer nossa ajuda para colocar em prática suas idéias?

Leave a Reply